A imersão é parte fundamental de um projeto de comunicação. À medida que entendemos o mercado e as atividades do cliente, conseguimos propor e desenvolver ações capazes de contribuir efetivamente para os objetivos de negócio.

Desde que criamos um núcleo dedicado a Planejamento e Estratégia na Approach, no início em 2015, realizamos Diagnósticos de Comunicação para marcas de diversos setores - educação, tecnologia, turismo, entretenimento, varejo - mas começamos este ano com nosso primeiro Diagnóstico para uma ONG.

A Anistia Internacional tem 75 anos de luta em defesa dos direitos humanos, e desde 2012 mantém um escritório no Rio de Janeiro que serve de base para pesquisas e mobilizações locais.

Como parte do processo de imersão, realizamos entrevistas com a equipe da organização - desde a administração até a diretoria executiva - e fizemos também a chamada "pesquisa sombra", acompanhando as atividades dos ativistas durante uma tarde de trabalho voluntário na sede da Anistia Internacional do Brasil.

A experiência de uma pessoa com uma marca, empresa ou instituição, vai além dos processos e canais que desenhamos. Por esse motivo, a pesquisa pode ser muito útil para mapear os pontos de contato não tão óbvios e possíveis cenários para criar uma experiência eficaz com aquela marca.

Este tipo de pesquisa nos permite, ainda, compreender melhor a realidade e o ambiente de trabalho do cliente. Mais do que isso, no caso da Anistia, tivemos a chance de aprender sobre as motivações e a atuação de um de seus públicos mais importantes: os ativistas. É por meio da ação deles que a ONG realiza seu face a face diário com as pessoas, um dos principais pontos de contato para sensibilizar o público a apoiar as causas da Anistia.

Elisa Magalhães, Gerente de Planejamento e Estratégia