bannerockinrio.jpg

NAVE - Nosso Futuro é Agora

Rock in Rio 2019: “Nave - Nosso Futuro é Agora” dá as boas-vindas para o público na entrada da Cidade do Rock 

  • Nova atração é uma cocriação do Rock in Rio e Natura e coloca o público em uma experiência imersiva e sensorial 

A nova atração do Rock in Rio “Nave - Nosso Futuro é Agora” materializa o discurso de que para construir o futuro é preciso mudar o presente. A partir de uma cocriação entre Rock in Rio e Natura, o velódromo do Parque Olímpico vai se transformar em uma grande experiência imersiva e sensorial. Sentidos, estímulos, sincronicidade, tecnologia vão mudar o ritmo interior de cada visitante. Em sessões de 20 minutos: música impactante, efeitos cenográficos, 5 mil m2 de projeções, onde público e imagens interagem. Uma experiência na qual o tempo ganha nova dimensão. Uma oportunidade para nos reconhecermos e encontrarmos uma nova sintonia. 

Ao cruzar os portões da Cidade do Rock, a “Nave – Nosso Futuro é Agora” será a primeira atração a impactar os visitantes. A expectativa dos organizadores é que o público viva este momento intensamente e saia do espaço engajado neste movimento de transformação coletiva.   

“A transformação do mundo parte de um engajamento da sociedade e a NAVE é um chamado poderoso para despertar nas pessoas a necessidade de torná-lo mais bonito, empático e sustentável”, conta João Paulo Ferreira, presidente da Natura. “Nos baseamos nos pilares que desde sempre norteiam nossa atuação, na busca de uma relação harmoniosa entre indivíduos, coletivos e com o planeta. Proporcionar esta experiência para impactar uma geração com ações sustentáveis, ou seja, que se sustentam para o bem coletivo, é sem dúvida, o grande início para novos tempos”, conclui. 

Para Roberto Medina, presidente do festival, “a Nave materializa nossa convicção de que o entretenimento é uma poderosa ferramenta para gerar transformação social. Com vivências únicas da emoção e do coletivo vamos inspirar e empoderar pessoas a assumirem o protagonismo do mundo por meio das suas escolhas no cotidiano. Com esta abertura especial da Nave, começamos a fazer isso desde hoje. Esperamos que todo o púbico se envolva e participe”, conta Roberto.

A expectativa é que a vivência proporcionada pelo novo espaço se transforme em um veículo de convergência entre as pessoas, uma oportunidade de entrar em sintonia com tudo que nos cerca e, a partir daí, começar a construir o futuro que seja sustentável para toda sociedade. A atração terá a curadoria de Marcello Dantas, especialista em conteúdos multimídia inovadores e um dos principais curadores de arte contemporânea do mundo. 

A atração dá ao público uma oportunidade de (re)sincronia, para restabelecer o contato com coisas com as quais perderam a conexão: os ciclos da natureza, a relação com as outras pessoas, a atenção ao ritmo natural do corpo humano. O espaço resgata ainda o poder do coletivo. 

Experiência com trilha sonora inédita para ficar na memória

E com a “Nave – Nosso Futuro é Agora” ocupando uma das 17 áreas do Rock in Rio, a música não poderia deixar de estar presente, afinal ela é quem faz o a conexão entre as pessoas ao entrarem pelos portões do maior evento de música e entretenimento do mundo. Uma trilha sonora inédita, composta por Zé Ricardo, foi produzida para marcar esta experiência. “Ritmo da Alma” sugere que cada um encontre o seu ritmo por meio do autoconhecimento e a partir disso inicie um processo de transformação. 

A trilha que tem um arranjo moderno e abusa dos ritmos brasileiros, traz nomes consagrados da música nacional como Elza Soares, Iza, Titãs, Tico Santa Cruz, Gaby Amarantos, Projota, Xênia França, Rael, Maria Rita, Dona Onete, As Bahias e a Cozinha Mineira, Tony Bellotto, Johnny Hooker e o próprio Zé Ricardo. A canção começa com os sons da floresta e vai se transformando, lentamente, nos ritmos, por meio do assovio, que entra de forma representativa, como o sopro da alma. O arranjo da música é marcado pela pluralidade dos ritmos brasileiros, como afoxé da Bahia, a guitarrada do Pará, o maracatu de Pernambuco, com batidas eletrônicas e muita percussão, juntando a proposta de modernidade com o Brasil raiz.

Velodromo_NAVE (1).jpg