Espaco favela.JPG

ESPAÇO FAVELA

A cidade do Rio de Janeiro atrai os olhares do mundo para o Brasil e é uma porta de entrada para quem quer conhecer essa imensidão de país e de culturas que se cruzam e se comunicam a todo instante. Ela é palco de grandes espetáculos e tem em sua essência a capacidade de se reinventar, de apresentar novos olhares. É assim com o Réveillon, com o Carnaval e com o Rock in Rio, entre muitos outros eventos. O Rio de Janeiro é sim um gigantesco polo de produção cultural que abastece o mundo nas mais diversas formas. A fase atual em que a cidade vive é também uma oportunidade de mudar, acreditar e de reforçar que a esperança ajuda a construir.  

As políticas públicas e sociais não fazem sentido se não houver um trabalho muito grande de inclusão das comunidades, respeitando o ambiente e a cultura onde elas estão inseridas. Quando na edição de 2017, no primeiro dia de Rock in Rio, um tiroteio na Rocinha assustou a população, uma luz se acendeu também dentro do maior evento de música e entretenimento do mundo. Neste momento acendeu-se o holofote para as comunidades, para uma conversa que mostra as favelas a partir de todo o seu potencial criativo.  

As favelas fazem parte da raiz da cidade e são parte fundamental e, a partir de agora, o Rock in Rio quer estabelecer uma nova conversa, com a criação do Espaço Favela, a nova área da edição de 2019. Com uma cenografia colorida e lúdica, o espaço vai incorporar todo o potencial da economia criativa que está dentro das comunidades por meio das danças, música e de todas as manifestações culturais presente nas favelas, que vão levar para a Cidade do Rock os costumes, os botecos das favelas e as iguarias peculiares daquela cultura.  

“O Rock in Rio é mais do que um festival, é uma plataforma de comunicação que vai dar voz, luz e mais espaço para as comunidades. Neste momento crucial é preciso mostrar que nas favelas existe talento. Estatísticas mostram que 45% da população das comunidades é formada de empreendedores (por conta própria). Estamos fazendo uma curadoria de peso nas favelas, conteúdos genuínos de muita qualidade e evidenciando o potencial incrível das comunidades para estarem conosco na Cidade do Rock. Não estamos falando em assistencialismo, mas em descobertas e visibilidade a grandes talentos. Vamos dar visibilidade e amplificar a carreia destes profissionais”, conta Roberto Medina, presidente do evento.  

O Espaço Favela será dinâmico e com muitas atrações ao longo do dia. As bandas das comunidades de diversos ritmos musicais vão compor o line up, que terá sempre um headliner e mais três pocket shows. O grupo de teatro Nós do Morro está preparando um grande espetáculo onde 40 artistas tomarão conta de todo o palco com uma apresentação de dança, música e teatro. Serão três apresentações diárias com a última transformando o Espaço Favela em um verdadeiro baile charme, onde o público será convidado a participar da dança. A poesia também estará presente com as batalhas de slam.  

Para o curador artístico do Espaço Favela, Zé Ricardo, o Rock in Rio é mais um projeto que está olhando para as comunidades e que o talento ramifica todo o conceito do Espaço Favela. “A favela é um berço de criação de conteúdos impressionantes. Queremos mostrar para as bandas que se apresentarão que acima de tudo, elas podem e devem estar ali. São poderosas e só precisam do holofote direcionado corretamente. Porque a voz, eles já têm. As bandas que apresentaremos estão prontas para mostrar seus trabalhos e nós estamos prontos para recebê-las. Afinal, favela é muito mais potência do que carência. Por isso, o talento é o que permeia todo o conceito do espaço”, comenta Zé Ricardo.  

Espaço Favela contará ainda no seu entorno com bares, com comidas típicas da culinária das comunidades cariocas 

Além da parte artística, o palco também vai ser um ambiente para impulsionar os negócios de microempreendedores, a partir do investimento nos talentos da gastronomia das comunidades. Juntamente com o Sebrae, a organização do festival vai oferecer uma oportunidade única para os pequenos negócios, que poderão estar em contato com cerca de 700 mil pessoas ao longo de todo o Rock in Rio. Todos receberão qualificação e suporte na legalização da operação. Após o evento, o Rock in Rio cederá os equipamentos para suas cozinhas, possibilitando assim a continuidade e alavancagem do seu negócio. 

“Nós reconhecemos o talento e a criatividade nos negócios que existem nas favelas. Ali se gera emprego. Ali foram encontrados caminhos para se contornar a crise. O Sebrae pode oferecer cursos, orientar como montar seu negócio e facilitar o acesso ao crédito. Uma das nossas ideias é levar para estes microempreendedores as “fintechs”, pequenas empresas tecnológicas que podem ajudar na concessão de crédito”, garantiu o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos.  

E, Cezar Vasquez, diretor-superintendente do Sebrae/RJ, reforça que cada vez mais é preciso acreditar no potencial empreendedor e realizador das favelas do Rio. “Quando unimos forças com parceiros estratégicos, contribuímos para geração de trabalho e renda nas comunidades das sete maiores cidades da região metropolitana do estado. A previsão é que junto com o Rock in Rio, o Sebrae/RJ atenda 10 mil empreendedores”.  

Ocupação em Área: 800m²

Tamanho: 50m de comprimento x 19m de altura

Peso total: 15 Toneladas (incluindo luz e som)

Cenografia: Mais de 500m²

Luz: Mais de 500 equipamentos instalados, incluindo 82 lâmpadas de moving lights

Total de shows nos sete dias de evento: serão 28 apresentações

LINE-UP

ef.jpg

DIA 27/09

HEAVY BAILE

GABZ

ABRONCA

NÓS DO MORRO

DIA 28/09

ORQUESTRA MARÉ DO AMANHÃ

APRESENTA

ROCK SYMPHONY

BATALHA DO SLAM

SETOR BRONX

NÓS DO MORRO

DIA 29/09

BK`

MALÍA

DUDU DE MORRO AGUDO

NÓS DO MORRO

DIA 03/10

RODA DE SAMBA FESTA DA RAÇA

P-TRÓLEO

DUGHETTU

NÓS DO MORRO

DIA 04/10

CANTO CEGO

AGONA

BK-81

NÓS DO MORRO

DIA 05/10

CIDINHO & DOCA

JONATHAN FERR

LUCAS HAWKIN

NÓS DO MORRO

DIA 06/10

DELACRUZ & MARIA

XAMÃ

TUANY ZANINI

NÓS DO MORRO